domingo, 14 de maio de 2017

Me dê apenas

Me dê apenas
Um drink 
De energia
Para viver
Neste mundo
Onde me deixei
Cair e perder
O ânimo de viver
Não sei como
Acordar e sentir
Disposição 
Para poder caminhar
Me dê um shock  
Para reviver 
Meus batimentos cardíacos
Encoberto pela escuridao
Que o conteu
Tirando aos poucos
Sua vontade
De viver
Me dê
Me diga
Palavras 
Para novamente viver
Aos poucos abaixo
Minha cabeça caindo
Até o fim vivendo
Nesta imensa melancolia 
Sem ao menos
Saber como reanimar



Existem criaturas

Existem criaturas
Em minhas imaginações
Sussurrando
Pelas minhas
Notas poéticas
Escritas pelas folhas
Que escrevo
Minhas poesias
Fazendo me
Desacreditar
Em monstros
Que me dizem
As piores atrocidades
Contra meu ser
Existem criaturas
Importando se
Com minha existência
As enxergo por
Todas as partes
Onde deito meu olhar
Para observar
O horizonte
De minha direção
Direcionando
Em outras imaginações
Surreais
Existem criaturas
Pelas minhas imaginações
Orientando por onde
Seguir em frente
Elas são realmente
Meu ser
Em forma de criaturas