quarta-feira, 8 de março de 2017

Vou rugir

Vou rugir
Feito um leão
Nesta selva
Por onde vivo
Para espantar
Toda energia negativa
Que fazia
Da minha cabeça
Uma prisão
Impedindo meu ser
De dar apenas
Um passo a frente
Vou rugir
Em volta de muitos
Daqueles que
Me fizeram fechar
Meus olhos
Deixando de enxergar
Perdendo a noção
De toda realidade
Existente neste mundo
Vou rugir
Para me livrar
De toda atormentação
Que me faz
Sentir amedrontado
De viver
Vou rugir
Para novamente
Enxergar e viver
Realizando meus sonhos
Deixando derramar
Minhas imaginações
Pelo meu caminho
Para poder dançar
A letra da música
Que eu mesmo criei
Por deixar me levar
Em todos os momentos
Que for viajar
Aos universos
Que for criando
Pelas minhas próprias mãos
Vou rugir
Cantando alto
Levantando e mostrando
Toda minha história
Se derramando por letras
Criadas em torno
De minhas imaginações


Repete Repete

Repete Repete
Os refrões
Que escrevi para ti
Pude sentir as letras
Reproduzindo
Em seus olhos
Quando eles se direcionaram
Até a mim produzindo
As cachoeiras caindo
Sem parar ao sentir
Em seu coração
As canções lhe abraçando
Sem parar
Movendo te comigo
Em outros cosmos
Do espaço
Cheio das estrelas
Que sempre observo
Lembrando de ti
Quando estás distante
Do calor de meu corpo
Repete repete
Jamais deixe de repetir
A melodia
Que faz me derreter
Em emoções
Ao pegar suas mãos
Para dançar
A valsa que sempre
Sonhamos e planejamos
Em dançar juntos
Na lua cheia
De novembro
Em plena data
Do dia que nos conhecemos
Repete repete
Os teclados que formam
As músicas das partituras
Que escrevi especialmente
Para ti
Repete repete
Jamais deixe de repetir
O perfume do nosso
Primeiro encontro
Ao estarmos distantes
Um do outro
Porque em cada momento
Que estávamos juntos
Naquelas horas
Foram o suficiente
Para serem especiais
Em nossa história
Escrita pelas nossas
Próprias mãos juntas


Não.....Sei como iniciar

Não sei
Como iniciar
Muito menos
Abrir os olhos
Em outras dimenções
Estou literalmente
Perdido entre
Meus pensamentos
E letras que formam
Os poemas completando
Todo quebra cabeça
Ilustrado pela minha
Imensa imaginação
Que nem sei
Como a descrever
Apenas me fecho
Ao escuro do dia
Para dar meu melhor
Entre os portões
Que abrem
Para começar
Uma grande
Ilustração da minha cabeça
Em brisas
Pelas ventanias
Refrescantes e confortantes
Através do dia a dia suado
De quem caminha
Milhas e milhas
Agindo e realizando
As tarefas
Que formam rotinas
Sem fim
Formando uma
Grande história
De sentimentos paralelos