quarta-feira, 31 de maio de 2017

Irei despejar

Não suporto
Ter que segurar
Contenho meu estômago
Cheio demais
Nestes últimos dias
Cantando aos cantos
Através de poemas
E textos
Dizendo neles
O quanto realmente
Amo você
Chorando pela alma
O quanto meu coração
Se trinca de dor
Ao estar distante de você
Irei a qualquer momento
Despejar  olhando para cima
As borboletas que em mim
Estão presas
Prestes a voar
E decorar o céu
Com o desenho
Que realmente
Diz o quanto
Preciso de ti
Em meus braços
Preciso apenas
Que cure as feridas
Nele nascidas
Pela sua ausência
Ao meu lado