terça-feira, 14 de março de 2017

Ao meio de trovões

Ao  meio de trovões
Uma pétala
De uma bela flor
Se decai onde
Esteve se ajoelhando
Chorando pelas
Terríveis guerras
Que ocorreram
Recentemente
Em sua volta
Ao meio de trovões
Sempre ocorrerá
Cartas virando
A mesa dizendo
Um novo destino
De nossa história
Que irá ocorrer
Daqui em diante
Ao meio de trovões
Surpresas irão acontecer
Repentinamente
Ao sentirmos
Uma grande energia
Florescendo
Em nosso ser
Capaz de nos fazer
Correr contra
As tempestades
Caindo sem parar
Pela cidade
Chorando pela
Cicatriz aberta
Por aqueles
Apreciadores
De grandes
Momentos
Em terror