quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O sábio

Abre os olhos
Dos cegos 
Sem vida
Sem conhecimento
Da realidade
Em que vivemos
O sábio
És o poeta
Que calado
Nos fascina
Com sua sabedoria
O sábio
Enxuga o sangue
Derramado
De seu arredor
Pelas letras
Escritas com 
Suas mãos 
Criadoras 
De seus fantoches
Desenhando por ações
O verdadeiro sentido
De viver entre
O bem e o mau 
O sábio
Por  mais 
Que seja
Conhecido e amado
Jamais será superior
E sim igual a todos
Os seres existentes no mundo