sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Olhos...

Olhos....
Olhos famintos
Desejando enxergar
A maravilha apenas
Do nosso habitat 
Olhos
Olhos 
Olhos
Grandiosos e surpresos
Profundos de histórias
Olhos 
Olhos
Olhos
Belos que nos fazem
Enxergar o obscuro
Através das imaginações
Que nos faz fechá-los 
E afundar a riquezas
De nossas qualidade
Que possuímos
Através da história
Existente aos nossos
Calabouços criados
Por nós mesmos
Olhos 
Olhos
Olhos
Nos flutuando
A grandes imensidões
Ao pensar
Em quem realmente
Nos faz despedaçar
Por amor ao vento
Através do toque
Ao nossos braços
Que necessitamos
Abraçar este alguém
Tão belo
A quem sempre enxergamos
Com toda imensidão
Das galáxias 
Existentes aos nossos olhos
Olhos
Olhos
Olhos
Nossos guias
A aperfeiçoar nosso arredor
Em mudar nossa realidade
Através dos grandes pensamentos
Em que nos faz voar milhas
Juntos as estrelas que em algum momento
Nos fizeram reviver e crescer