sábado, 3 de dezembro de 2016

Preciso de ajuda

Preciso de ajuda
Está tudo girando
Em torno de mim
Fazendo me
Correr perigo
Quando a ventania
Se inicia
Para indicar
O apocalipse
Chegando
Pelas ladeiras
Para me soterrar
Alguém me acorde
Estou preso
Sem poder
Enxergar neste
Escuro que me apavora
Socorro socorro
Uma bomba relógio
Se implantou
Em meus pés
A poucos segundos
Irá se explodir
Espatifar me
Pelos ares
Grito grito
Alto bem alto
Mas nada
Resolve
Irei morrer
E sim
Terei meu fim
Apocalíptico
Para apenas deixar
Minhas obras feitas
Sem um término
A se terminar
Que mundo é este?
Me afoguei
Perdendo meu fôlego
Pelos ventos
Nesta noite
Tão insana
Preciso de ajuda
Para me livrar
Deste tremendo ambiente
A desejar realizar
Mil e uma
Ações que desejo
Refazer para viver
Preciso de ajuda
A querer poder
Em breve
Mudar a página
Do mundo
Para melhor
Apagando
A melancolia
Desta história
Em que o planeta tem

Caos flamejante

Olhar flamejante
Corpo tremulo 
Gritos externos
Corpo em chamas
Respiração aflita
Ansiedade monstruosa 
Sem saída
De um precipício
Cada vez
Mais próximo
De se conviver
Entre nossa direção
Desespero a mil
Suor frio
Expondo o medo
A fobia 
Que nos torna
Frágeis 
Em torno
De uma catástrofe
Caótica 
Nos tornando
Reféns 
De nossos pensamentos
Perturbados
Sem uma única letra
A se explicar