domingo, 4 de dezembro de 2016

Passei a sentir

Peguei um graveto
Para escrever
Nosso nome
A uma árvore
Onde estava
Pensando na vida
Me deixando levar
Pelo vento
Que vinha
Em meu rosto
Tranquilamente
Passei a deslizar
Meus dedos
Em meu violão
A cantar e tocar
Para lembrar
De cada momento
Que passei a sentir
Você fazendo
Meu coração
A sorrir por
Perceber
Que realmente
Estava me
Apaixonando
Por ti em cada
Detalhe que
És você
Neste mundo
Tão imenso
Cheio de seres
Bons e ruins
Mas a encontrei
E logo de repente
Pude encontrar
A moça que em breve
Faria me sorrir
Sem motivos
Mudando
As palavras
Que compunham
Minhas melodias
Aos poucos
Que dizia tanto
Como realmente
Sinto me neste mundo
Que dificilmente
Enxergo uma luz
Preciosa que faz me
Acreditar e conhecer
Quem realmente sou
Cantarolando sem saber
O valor que tenho
Fazendo me imaginar
Que eu seja
Um ser adormecido
Buscando por respostas
Para reviver e superar
Aquilo que me faz
Fechar os olhos
Por um grande tempo