sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Guerras internas

Comece ou recomeça
A abrir a janela
Para soltar as borboletas
Onde se prendem a si
Pulsando intensamente
A explodir
Aflições em estar
Sem reações
Ao se sentir
Controlado
A um controle
Que apenas
Se move através
De seus pensamentos
O fazendo sentir se
Um presidiário
A uma cela
Toda escura
Que se enxerga apenas
A guerra interna ocorrer
O torturando feito
Um prisioneiro
Indefeso
Que pressente
O fim se aproximar
Tão depressa
Quanto uma chita
Correndo atrás
De sua presa
A degustar sua carne
Saborosa e suculenta