domingo, 6 de novembro de 2016

Quem me dera

Foram apenas imaginações
Sentimentos aflorando
Em meus olhos
A ansiedade em aguardar
O momento certo
Por acontecer 
Tão depressa
Em minha direção
A poder cedo ou tarde
Reacender chamas
Em minha alma
A reviver 
Aquela história
Que parei no caminho
De criar por sentir se
Tão incapaz e perdido
Por ai tentando encontrar
Motivações pelas brisas
Fazendo me sempre
Me perder em pensamentos
Que sempre faz me
Criar poesias
Comunicando se
Ao meu próprio ser
Quem me dera
Se tudo acontecesse
Através do poeta 
Que construo
As margens
De minha direção
Quem me ajoelho
A sonhar e poder
Debater se 
Pelas palavras
Tudo aquilo
Que poderia realizar
Quem me dera
Se tudo que ilustro
Querer fosse se realizar
Quem me dera 
Quem me dera
Se tudo acontecesse
Entre um estalo 
Pelos dedos
Que faço mágica
As letras do vocabulário
De meus pensamentos
Em uma folha
Desabafando 
Tudo o que sinto
Em segredos ao meu redor
Que mal tenho coragem a dizer
Quem me dera
Se toda dificuldade
Fosse de menos
Mas imaturidade
Da minha parte querer
Tanto que tudo fosse fácil
Para poder conseguir
Aquilo que poderei
Algum dia pintar
Em meu rosto
A emoção
Em conseguir 
Todos os objetivos
Do meu coração
A realizar
Quem me dera
Se meus pensamentos
Fosse ser despejados
Pela minha boca
Fazendo me
Reviver pela realidade
Que me deitei fechando
Os olhos perdendo meu
Da realidade em que vivo
Com toda intensidade
Pelas cores e letras que tanto
Me delicio a me divertir