sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Nesta solidão

Estou me fechando
Sem dizer 
Uma única palavra
Que me escreve
Em ilustrações
Aflorando
O que realmente
É a minha realidade
Entre segundos
Que tanto faço
Dele a melodia
Desabafando
Tudo que ocorre
No agora que tanto
Faço me perder
Deixando me
Confuso
Nesta solidão
Que me apaga
Do sol nascente
Ao céu que traz
Novos momentos
Para podermos 
Sonhar e reviver
Novamente
Do abismo
Que tanto nos faz
Desanimar de viver
E amar a nós
Nesta solidão
Que faz me
Chorar pela alma
Ao sentir o vazio
Se proliferando
Abraçando me
Assombrando
Com o passado
Melancólico
Que tanto fez me
Sentir desmotivado
A viver deixando 
De me aceitar
Nesta solidão
Que tanto
Me tortura
Como se fosse
Meu próprio eu
Motivando
A mim mesmo
Desistir tirando
Minha própria vida
Nesta solidão
Preciso apenas
Renascer
E dizer ao mundo
Lá fora
Que o patinho 
Indefeso e frágil
Estás se tornando
Um belo cisne 
Para encantar
Surpreender
Criando uma nova
História para se prosseguir
Neste mundo caótico
Surpreendente
Que sempre estás
Em equilíbrio
Entre o bem e o mal