quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Filmes de ação em meus pensamentos

Já não sei quantas vezes
Me peguei desabafando
Olhando as nuvens pelo céu
Fazendo me distrair
E pensar quantas vezes
Desabafei sobre o ser
Que sou nesse mundo
Sempre ouço
Palavras positivas
A mim de uma forma
Tão sincera
Mas meu ser
Recusa se a acreditar
Como se estivesse
Sendo iludido
Pelos contos de fadas
Que muitos teríam
Coragem a me
Fazer acreditar
Sinto me inseguro
Igual a um indefeso gato
Na rua que corre das pessoas
Por um medo terrível que sentem
Triste sentir se tão inseguro
Negativo e morto nesse mundo
Parece ser a minha companhia
A tristeza e a melancolia
Que tanto parece desejar
Fechar meus olhos para a realidade
Perdendo o prazer e o sentido
De viver com intensidade
Que mundo é esse?
Quem sou nesse mundo?
Me peguei tantas vezes
Fazendo as mesmas perguntas
Mas ninguém me responde
Sinto me dentro de uma garrafa
Enorme que impede de meus gritos
De serem ouvidos de bem longe
Estou me perdido e sem reação
O que irei fazer?
Não sei
Pareço não ter mais caminho
A percorrer na minha vida
E se eu tivesse nascido
Para apenas enxergar a dor
Ao invés dos meus próprios sorrisos
Ninguém os enxerga
Percebo estar sentindo me
Sendo odiado
Mal falado e excluído
Ao meu arredor
Carregado de flores mortas
Ilustrando em meu coração
A melancolia que se casou
Com minha alma
Para nunca mais querer
Me soltar facilmente
A vida se tornou uma guerra
Violência entre pensamentos
Meu ser contra mim mesmo
Que caos é esse que mal sei dizer
Como é apenas em uma palavra?
Desculpe me
Mas jamais deixarei de sonhar
Minha querida tristeza
Que me cega entre  viver e se matar
Aos poucos que jamais percebi
Estar morrendo
Por se sentir tão sufocado
Pressionado e humilhado
Ao passado que me fez sentir
No hoje tudo o que ocorreu
No ontem
Traumas e traumas
Assombrando meus pensamentos
Iguais aos fantasmas
Fazendo me chorar
No silêncio fazendo me
Chorar de angústia até eu me
Alto destruir fisicamente
Por sentir tanta dor em meu coração
Ao meu peito que mal sabe mais suportar dores
Que agonia horrível sem fim infinita de se ir
Toda batalha será intensa
Entre gritos e desespero
Feitos a filmes intensos
De ação que nos comove intensamente
Mas a realidade é real entre mim e o pesadelo
Que deseja dar um beijo em meu rosto
Para fazer me cair para nunca mais levantar
Deixando me perder as palavras
A contar me pela frente do ocorrer
Da minha história que tanto quero
Me inspirar e novamente emocionar me
A me livrar de um pesadelo terrível
De se enfrentar ao longo da vida