quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Deixando me levar pelas palavras

Julgam as palavras
Que digo a versos
De um caderno
Sem motivos algum
Debocham dos
Pensamentos
Que espalho
Pelo vento
Que me jogo
Por inteiro
Deixando me levar
A outro horizonte
Dizendo me trazer
Histórias a se viver
Onde jamais teria
Como viver com intensidade
A todo instante me rotulam
Como se fossem desejar
Cair meteoros em minha volta
Para me amedrontar
Perdendo os sonhos
A cumprir em minha vida
De segundos fecho meus olhos
Ignorando os ares
Que me prejudicam
Em meu arredor
Idêntico aos traumas
Fechando me
A um mundo onde
As esperanças some
Tão depressa
Sentindo me
Indefeso sozinho
E inseguro onde
Tanto queria viver
Sorridente ao ilustrar
Minha existência
Em cores que poderiam
Ser vistas por palavras
Que muitos não entenderia
Como as ler
Fazendo me sentir
O cisne cedo ou tarde
A um mar enorme
Para se descobrir
Vivendo e se inspirando
Em novas aventuras
A viver com intensidade e emoção