quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Borboletas

Gostaria de conhecer
As borboletas
Que tanto faz me
Respirar profundamente
Ascendendo minhas emoções
Novamente onde meus olhos
São fechados a uma lama
Melancólica apagando o fogo
Que meu coração possui
Fazendo me sempre
Gritar silenciosamente
Em palavras escritas
A ansiedade a flor da pele
Que mal sei descrever
Por versos sem sentido
Que nem sei por completo
Explicar para mim mesmo
O ocorrido ao meu redor
Cheio de surpresas
Que ocorre a todo momento
Ao lado de meu ser
Desejando conhecer
A filosofia que carrego
Pela história que escrevo
Sem ao menos entender
O motivo por elas serem
Tão escritas
Com intensidade
Fazendo me
Perder e as criar
Sem conseguir ler
Toda escrita
Criada entre a tempestade
E o perfume das rosas
Que tanto me inspiro
A apreciar ao meu lado
Lembrando daquela
Moça que tanto faz me
Amar como nunca amei
Entre poesias escritas
Imaginando me ao lado dela
Borboletas borboletas
Faz me viajar
Ao horizonte onde
Me reconheço
Mais e mais
Fazendo da minha minha
Insanidade poética
Muito mais assustadora
E misteriosa para meu ser
Confuso ao mundo
Cheio de surpresas grandiosas