quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Ousadia

Feche os olhos
Deixe me
Passar lentamente
Meus lábios
Em seu pescoço
Para sentir lhe
Arrepiando
Gritando
De desejos
Pela alma
Fazendo me
Querer ainda mais
Me desabar
Em seu corpo nu
Esquecendo
Da realidade lá fora
Como se o amanhã
Nunca mais existisse
Em nosso universo
Tão imenso e magnífico
Tendo ousadia
Por todas as noites
Desejarmos ouvir
Um ao outro
Gritando de tesão
Mergulhando
No nosso nudez poético