quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Olá, mundo....

Aos meus olhos lágrimas caem 
Em meu rosto está desenhado a dor que senti
Ao começo do fim
Minha boca treme ao sentir o frio tocando em meu corpo
Me arranho em desespero por sentir o  medo sem fim
Mas e se fosse apenas um pesadelo?
Estou preso a uma casa sombria
Sem saída
Observo meus braços pintados pelo vermelho do sangue
Vou me desacordando
Olá mundo
Estou sozinho
Ninguém me ouve, mas ouço risos que possui um profundo vazio
Esse pesadelo parece desenhar minha realidade
Meu universo
A um abismo
Em um mundo frio e vazio
Se meu fim chegou ou não
Vou saber daqui a algum tempo
Me guiarei ao meu grito profundo da alma e me desacordar com minha dor