quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Desabafo ao vento

                          Me peguei olhando ao passado e  desabei ao chão em lágrimas que fizeram desacordar da realidade fazendo sentir afogando ao pesadelo.....Naveguei ao abismo sentindo meu ser perdido ao mundo sem ao menos entender aquela brisa que bateu em meu rosto ao sentir toda profundidade em apenas um toque em apenas um pensamento de segundos.
                         Minhas imaginações me fizeram sumir em pensamentos para sentir toda aquela dor que me assombrava com apenas lembranças horríveis como se fosse fantasmas que me fizeram sentir deprimido ao meu dia a dia que se parece grandes versos históricos de sentimentos paralelos.
                         Mas acordei respirando fundo me vendo ao reflexo da água parada ao chão e senti meu corpo todo frio sentindo a chuva caindo em mim lentamente como se fosse remover todo sangue que desabei com apenas meu olhar descrevendo meu rosto todo triste e melancólico.
                         Deixo-me ficar de joelhos e sentir a chuva caindo suavemente em mim removendo toda dor e tristeza em mim......... Quero agora levantar e seguir meu caminho mostrando com minhas próprias palavras que formam meus versos a história que existe ao meu universo e cantar toda canção que me faz sorrir como se não houvesse o amanhã me fazendo pensar e dizer o caminho que devo percorrer para escrever meu nome ao livro que brevemente deixarei ao mundo.
                          Um livro que nem sei ao menos se irá ajudar ao próximo, mas minhas próprias palavras me emocionam e porque não acreditar nelas? É apenas uma grande poesia de eu mesmo acreditar nelas mesmas com todo prazer que apenas eu sei sentir das minhas próprias palavras.